terça-feira, abril 21, 2015

4 itens essenciais para um quarto mais confortável e funcional



Oi gotosas, tudo bom? Cada vez mais, o quarto deixa de ser um cômodo da casa reservado apenas ao sono e se transforma em um refúgio, onde as pessoas procuram ter um período de relaxamento e até de lazer. Além disso, com o crescimento dos trabalhos do tipo home-office, tem se tornado comum muitas pessoas utilizarem o local onde dormem também como ambiente de trabalho. 
Com tantas novas funções para uma parte da casa em que antes só se pensava que não pudesse existir sem uma cama, agora é natural completá-la com outras mobílias e objetos que sejam capazes de otimizar o espaço, mas sem deixá-lo menos aconchegante.
Tanto para planejar uma decoração que tenha a sua cara quanto para deixar o quarto mais funcional, a especialista e editora de interiores da WGSN Heloisa Righetto recomenda que o ambiente comece a ser montado pela escolha do melhor local para a cama: “pode parecer óbvio, mas a dinâmica do quarto muda totalmente dependendo de onde a cama está. Mesas de cabeceira, armário, cômoda, prateleiras e o que mais você quiser ou for necessário dependerá dessa primeira etapa. Aliás, definir as cores e materiais dos móveis e objetos também depende do posicionamento da cama”, detalha.
Se você pretende redecorar seu quarto ou está de mudança para uma nova casa e vai começar do zero, confira quais são os 10 itens essenciais para fazer do seu cantinho um espaço agradável e útil.

1. Pufes, cadeiras ou poltronas


Para quem prefere reservar a cama apenas para o sono, uma boa ideia é ter no quarto um pufe ou uma poltrona confortável, que podem ser utilizados para leituras, breves descansos ou mesmo para receber uma visita. Cadeiras são bem-vindas para acompanhar mesas, principalmente no caso de estudos e uso de computadores. A editora de interiores da WGSN Heloisa Righetto ressalta ainda que é importante que essas mobílias sejam fáceis de mover, o que facilita a limpeza e a organização do cômodo.

2. Mesa multiuso


Se espaço não for um problema e o seu quarto for um ambiente no qual você passa muito tempo, um investimento recomendado por Righetto é uma mesa multiuso, que tenha um tamanho suficiente para dar conta das suas necessidades, podendo servir de bancada de estudos e penteadeira, por exemplo. Mesmo porque, segundo ela, esse cômodo não é útil apenas na hora de dormir, servindo também como um “refúgio” na casa. Assim, é primordial que este seja um ambiente, além de aconchegante, versátil.

3. Caixas organizadoras


Um item essencial, recomendado tanto por Simone Serrano quanto por Heloisa Righetto são as caixas organizadoras , que podem servir de depósito para todo tipo de objeto e até como item de decoração se forem revestidas ou tiverem um design diferenciado. O segredo é encaixá-las nos espaços vazios, como sobre os armários ou embaixo da cama.
Não é vantajoso, porém utilizá-las apenas para esconder a bagunça: é importante identificá-las e mantê-las organizadas, de forma que os objetos guardados continuem acessíveis. Para tanto, de acordo com Simone, é válido se utilizar de acessórios como porta CDs, porta livros, revisteiro, entre outros, todos “objetos de custo acessível, fáceis de serem encontrados e que ‘fazem milagre’ na organização, colocando cada coisa em seu devido lugar”.

4. Tapete


Pode parecer banal, mas um simples tapete na lateral da cama pode ajudar a tornar o quarto um ambiente mais confortável. Conforme explica Simone, isso “favorece o aquecimento do quarto, principalmente quando o piso do cômodo é frio” e faz com que acordar e colocar os pés no chão seja mais agradável do que encontrar uma superfície gelada.

E é isso, espero que vocês tenham gostado das dicas! Um beijão e até a próxima!!


Capsule Wardrobe: método facilita a escolha dos looks no guarda-roupa



Muitas mulheres já devem ter passado por essa situação: por mais que tenham roupas, e por mais que comprem roupas, na hora em que precisam escolher algo para vestir, sempre surge aquela sensação de “não tenho nada para vestir”.
Porém, isso não acontece por falta de roupas, mas sim por falta de critério na aquisição delas: poucas roupas se coordenam entre si, às vezes combinando com apenas uma outra peça do guarda-roupa, o que faz com que as opções sejam reduzidas, apesar da grande quantidade de peças. 
Na prática, esse conceito gerou diversos projetos (como o Project 333, que propõe a montagem de um guarda-roupa de 33 peças para ser utilizado durante 3 meses – uma estação, sendo revigorado ao fim desse tempo) e adaptações (há versões que agrupam desde 24 até 50 peças – sendo que esse último número seria o suficiente para um ano!).
a consultora também afirma que “foi apenas em 1985 que o conceito se popularizou, quando a estilista americana Donna Karan lançou uma coleção de sete peças que se complementavam e colocavam em prática o conceito.”
Na prática, esse conceito gerou diversos projetos (como o Project 333, que propõe a montagem de um guarda-roupa de 33 peças para ser utilizado durante 3 meses – uma estação, sendo revigorado ao fim desse tempo) e adaptações (há versões que agrupam desde 24 até 50 peças – sendo que esse último número seria o suficiente para um ano!).

Como criar um guarda-roupa funcional em cápsulas

Além do conceito citado, outras adaptações menos radicais propõem a criação de pequenas cápsulas dentro do guarda-roupa, de acordo com os espaços em que a dona (ou dono) do guarda-roupa mais transita. Por exemplo:
  • O guarda-roupa de uma executiva deve ter muitas roupas para trabalho, mas talvez não tantas “de ficar em casa”. Porém, ela pode gostar de se aventurar no campo ou praticar esportes radicais quando possível. Já são duas cápsulas.
  • Uma professora de crianças pequenas precisa de um guarda-roupa que leve em consideração o fato de que ela precisará se curvar e se agachar com frequência, mas ela pode gostar de ir a baladas aos fins de semana, então também precisará de uma cápsula que contemple esse aspecto.
  • Uma dona de casa dificilmente precisará de roupas profissionais, mas pode ser uma pessoa que frequenta muitos eventos sociais, de modo que seu guarda-roupa vai precisar de uma boa quantidade de roupas de passeio.
Assim, cada guarda-roupa deve estar de acordo com a personalidade da pessoa que o utiliza, e será muito mais fácil lidar com ele se as peças se coordenarem. Aliás, é recomendável que cada peça do guarda-roupa combine com algo entre duas a cinco outras peças, para render boas composições (quanto mais peças combináveis, melhor).
Roupas que combinam apenas com uma outra peça, ou com apenas um par de sapatos não são versáteis e acabarão se tornando um peso morto no guarda-roupa, pois você logo se cansará de repetir sempre a mesma combinação.

Meu guarda-roupa não é coordenado. O que fazer?


Segundo Veruska, ter um guarda-roupa coordenado é vantajoso por você “não ter que ficar pensando pela manhã o que vai vestir para trabalhar. É não ficar com aquela sensação de não ter roupas para vestir que leva àquelas compras por impulso… pois afinal de contas ‘eu não preciso de mais um vestido quando tenho tantos outros com a mesma função'”.
Para transformar seu guarda-roupa, a primeira coisa que você vai precisar é tempo. Um dia, pelo menos. Você precisará esvaziar seu guarda-roupa e analisar peça por peça. Se a peça está muito velha, jogue fora. Se não serve mais, ou não combina mais com seu estilo, doe ou venda. A partir daí, é possível trabalhar apenas com aquilo que serve, agrada e está em bom estado.
A partir disso, é possível seguir as 8 dicas dadas pela consultora Veruska:
  1. “Separe os capsule wardrobe quanto ao seu estilo de vida, ou seja, trabalho, lazer, festa, ginástica, etc.”
  2. “Determine o número de peças que ficam em cada capsule wardrobe, incluindo acessórios.”
  3. “Comece pela parte de baixo. Detalhe, vestidos são considerados parte de baixo”. A conta geralmente é de cinco partes de cima (blusinhas, camisas, jaquetas, cardigãs, etc.) para cada parte de baixo (calça, short, saia, vestido, macacão, etc.)
  4. “Pense que cada peça deve render no mínimo 3 situações diferentes: Trabalho, lazer e almoço de domingo, por exemplo”, de acordo com os espaços que cada pessoa frequenta.
  5. “Defina as cores e as suas combinações. Coordenações com muito contraste de cor (laranja e azul) transmitem mensagens mais informais, cores mais próximas ou com menos contrastes (bege e branco ou tons de azul) transmitem mensagem de mais formalidade.”
  6. “Sugestão: use cores neutras e cores vivas em cada coordenação com uma saia por exemplo, assim você treina todas as imagens que deseja trabalhar.”
  7. “O grupo de roupas e acessórios deve trabalhar em conjunto.”
  8. “Separe a máquina fotográfica ou o celular! Fotografe as coordenações! Facilita e não te coloca na necessidade de ter que separar o guarda-roupa.”
Um detalhe ao qual se deve estar atento é o fato de que, se você for montar uma cápsula para o ano todo, as roupas “de ficar em casa”, pijamas e roupas de academia não são contadas. Apenas considera-se essas roupas se você optar por mini capsulas para cada momento da sua vida: trabalho, passeio, balada, academia, etc.
E esse foi a minha dica estou fazendo isso e amando, então façam ook! Um beijo!!